20 de março de 2017

Ingressos para São Paulo x Corinthians

|0 comentários
Local Morumbi - Data: domingo - 26/03/2017, 16h00


Em cumprimento à lei nº 14590 publicada no Diário Oficial em 11/10/2011, a partir de 11/11/2011, serão cadastrados todos os torcedores que adquirirem ingressos para partidas de futebol. É obrigatória a apresentação de documento de identificação oficial com foto no ato da compra (nas bilheterias ou pontos de venda).

ARQUIBANCADAS: Para atendimento ao JECRIM (qualificação do adquirente e proibição da venda de ingressos a integrantes de torcidas organizadas), não há venda de ingressos de arquibancada para a torcida mandante em bilheterias e pontos de venda. Na venda online, o torcedor deve informar um CPF para cada ingresso adquirido.


 GRATUIDADE:

PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS - Deverão acessar diretamente o portão 17B do Estádio e apresentar sua documentação junto aos fiscais de catraca. Dos acompanhantes do PNE será cobrado o valor integral do setor PNE Acompanhante. Poderão fazer uso do benefício de 1⁄2 entrada se devidamente documentados. Ingressos de acompanhante poderão ser adquiridos nas bilheterias do portão principal.

CRIANÇAS ATÉ 7 ANOS DE IDADE - Somente nas arquibancadas superiores, acesso pelos portões 6 (Azul / Laranja) e 15 (Amarela / Vermelha). Os pais e/ou responsáveis deverão comparecer às catracas, com documento da criança comprovando a idade. SUJEITO A ESGOTAMENTO.

--------------------------------------------------

MEIA-ENTRADA:

    A venda de meia-entrada se dará nas bilheterias e nos pontos de venda, mediante apresentação de documento de identificação, nos termos da Lei.
    Nos termos do Decreto no. 8.537/2015 a concessão do benefício da meia entrada fica assegurada até o percentual de quarenta por cento do total de ingressos, descontados os destinados ao programa de Sócio Torcedor, reservados pelo prazo de setenta e duas horas antes de cada evento.
    Para compra virtual o torcedor fará a compra de apenas um ingresso por CPF, com a apresentação obrigatória do documento de identificação que garante o benefício no acesso ao estádio.
    O ingresso de 1/2 entrada só poderá ser adquirido pelo beneficiário do desconto. O ingresso é pessoal e intransferível.Abriremos exceção somente para pais ou filhos, que poderão adquirir ingressos uns para os outros, mediante a apresentação de documentos que comprovem o grau de parentesco.
    Estudantes: É necessária para a compra e acesso ao estádio a apresentação de documento escolar original (declaração escolar do mês vigente, ou carteirinha escolar com ano letivo ou data de validade e carimbo da escola, ou boleto pago do mês vigente) e RG original ou cópia autenticada (Lei Municipal nº 11.355/1993, Decreto Municipal nº 33.468/1993 e Lei Municipal nº 13.715/2004).
    Aposentado do INSS: É necessário a apresentação de holerite ou cartão do benefício e RG original ou cópia autenticada. (Lei Municipal nº 12.325/1997)
    Idosos (com idade igual ou superior a 60 anos): apresentando RG  original ou cópia autenticada, paga meia entrada. (Lei Federal 10.741/2003 - Estatuto do Idoso)
    Professores da rede pública municipal e estadual de ensino: pagam meia mediante a apresentação de RG e a carteira funcional emitida pela Secretaria de Educação.
    Diretores, coordenadores pedagógicos, supervisores e titulares de cargos do quadro de apoio das escolas das redes públicas estadual e municipais de ensino (Lei Estadual nº 15.298/2014): pagam meia mediante a apresentação de RG e a carteira funcional emitida pela Secretaria de Educação.
    Jovens de baixa renda: jovens de 15 a 29 anos inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CADÚNICO), cuja renda mensal seja de até 02 (dois) salários mínimos. Para a compra, retirada e acesso ao estádio, é obrigatório apresentar a Carteirinha do CADÚNICO (Bolsa Família) e o Documento de Identidade original (RG) ou cópia autenticada (Lei Federal 12.933/2013)


 FORMAS DE PAGAMENTO

Online: cartão de crédito (bandeiras VISA ou Mastercard) ou débito (VISA).
Bilheterias e pontos de venda: dinheiro ou cartão de débito.

   INGRESSOS SÓCIO TORCEDOR

Conheça os planos e cadastre-se!
Informações e dúvidas: 11 3749-5549 / relacionamento@sociotorcedor.com.br

ATENÇÃO! Antes de efetuar a compra, verifique a prioridade e desconto do seu plano!
 COMPRE AQUI: TOTAL ACESSO.COM

TABELAST 

    Datas de abertura de vendas

Planos

Tu És o Primeiro a partir de 21h de 15/03/2017;
Tu És Grande a partir de 21h de 15/03/2017;
Tu És Forte a partir de 9h de 16/03/2017;
Clube da Fé a partir de 21h de 16/03/2017;
São Paulo Brasil a partir de 9h de 17/03/2017;
Mais Querido a partir de 9h de 17/03/2017;
Vamos São Paulo a partir de 21h de 17/03/2017;
Sou Tricolor a partir de 9h de 18/03/2017;


 INGRESSOS COMUNS

    SETORES

ARQUIBANCADAS (VENDA SOMENTE ONLINE)
Arquibancada Amarela > R$ 20 - ½ entrada R$ 10 (portão 15, venda somente pelo site)
Arquibancada Azul > R$ 30 - ½ entrada R$ 15 (portão 06, venda somente pelo site)
Arquibancada Laranja >R$ 20 - ½ entrada R$ 10 (portão 06, venda somente pelo site)
Arquibancada Vermelha > R$ 30 - ½ entrada R$ 15 (portão 15, venda somente pelo site)

CADEIRAS INTERMEDIÁRIAS
Cadeira Superior Amarela > R$ 50 - ½ entrada R$ 25 (portão 16)
Cadeira Superior Laranja > R$ 50 - ½ entrada R$ 25 (portão 05)
Cadeira Superior Azul > R$ 70 - ½ entrada R$ 35 (portão 05)
Cadeira Superior Vermelha > R$ 70 - ½ entrada R$ 35 (portão 16)
Cadeira Cativa Azul (proprietário) > R$ 30 (portão 05)
Cadeira Cativa Vermelha (proprietário) > R$ 30 (portão 16)
Setor Eterno Capitão > R$ 120 - ½ entrada R$ 60 (portão 05)

TÉRREO
Cadeira Térrea P02 e P04 > R$ 50 - ½ entrada R$ 25 (portões 02 e 04)
Cadeira Térrea P18 > R$ 50 - ½ entrada R$ 25 (portão 18)
Cadeira Térrea Sócio > R$ 25 (portão 18)
Setor PNE Acompanhante * >R$ 30 - ½ entrada R$ 15 (portão 17)

CAMAROTES
Espaço do Sócio > R$ 30 (portão 04)
Corporativo (Empresas) > R $30

*restrito a zona de cadeirantes



    VENDA

TOTALACESSO.COM
Venda de ingressos online a todos torcedores a partir das 9h de 19/03/2017;

BILHETERIAS DO MORUMBI

De 23/03 a 25/03 – das 10h às 17h (somente nas Bilheterias 01 e 03)
Dia 26/03 (dia do jogo) das 10h às 16h45 (Bilheterias 01 e 03)
Dia 26/03 (dia do jogo) das 12h às 16h45 (Bilheterias internas P14, P17 e Tribuna)

VISITANTES
Não haverá venda de ingressos ao visitante, conforme determinação do Jecrim do MP-SP, FPF e Polícia Militar - SP.



    DEMAIS PONTOS DE VENDA PARA TORCIDA DO SÃO PAULO (não abrem em feriados e nem no dia do jogo)

Estádio do Pacaembu
Praça Charles Müller, s/nº - São Paulo
De 23/03 e 24/03 - 11h às 17h

Ginásio do Ibirapuera
Rua Manuel da Nóbrega, 1361 - São Paulo
De 23/03 e 24/03 - 11h às 17h

Estádio Anacleto Campanella
Rua Walter Tomé, 64 - São Caetano
De 23/03 e 24/03 - 11h às 17h


    CAMAROTES

Consulte disponibilidade de ingressos e valores

Amani
Telefone: 11 3476-2146
Facebook: facebook.com/amanirestaurantesaopaulo

By Koji
Telefone: 11 3624-7710
Facebook: facebook.com/bykoji
Twitter: @bykojioriginal

Pub&Poker
Telefone: 11 4302-3529
Facebook: facebook.com/PubPokerMorumbi

Sala Raí
Telefone: 11 3819-2427
Site: www.salarai.com.br
Email: eventos@salarai.com.br

Camarote Stadium
Telefone: 11 2387-3576
Site: www.camarotestadium.com.br

18 de março de 2017

São Paulo joga mal e empata com o Ituano

|0 comentários
No Morumbi, São Paulo marcou com Cueva, mas visitantes deixaram tudo igual na segunda etapa



Com gol de Cueva – em bela jogada de Pratto – e grande atuação do goleiro Renan Ribeiro, o Tricolor largou na frente diante do Ituano neste sábado (18) e tentou reagir no Campeonato Paulista de 2017, mas sofreu o empate na segunda etapa e ficou no 1 a 1. Apesar do tropeço, no Morumbi, o São Paulo se manteve na liderança do Grupo B, agora com 15 pontos em nove jogos, seguido pelo Linense (14). Na próxima quarta-feira (22), com a missão de tentar reagir na competição, a equipe são-paulina visitará o Botafogo-SP, em Ribeirão Preto.

Para encarar o clube de Itu, o time são-paulino não contou com Sidão (lombalgia), Maicon (entorse no tornozelo esquerdo), Rodrigo Caio (suspenso pelo terceiro cartão amarelo e vetado após sofrer um edema na região do ligamento colateral medial) e Wesley (artroscopia no joelho), além de Lyanco, que não está inscrito no torneio. No entanto, o Tricolor teve as voltas de Lucas Pratto – com uma máscara de proteção após sofrer fratura no nariz –, Breno e Jucilei (estes dois últimos preservados contra o ABC-RN (1 x 1).

Assim, a equipe foi escalada com Renan Ribeiro; Bruno, Breno, Douglas e Buffarini; Jucilei, Thiago Mendes e Cícero; Luiz Araújo, Lucas Pratto e Cueva. Já o adversário começou a partida com Fábio; Arnaldo, Naylhor, Lima e Peri; Walfrido, Igor, Marcelinho e Claudinho; Simião e Morato. Quando a bola rolou, diante de um rival bem fechado no campo de defesa, o São Paulo não teve vida fácil para explorar as jogadas na frente.

Nos contragolpes, os visitantes ainda levaram perigo. Logo aos quatro minutos, em jogada pela ponta esquerda do Ituano, a bola chegou rasteira para Wellington Simião, que finalizou: Renan Ribeiro saiu bem do gol e impediu que o adversário abrisse o placar! Para tentar responder, o Tricolor trocava passes pelo meio e tentava avançar, mas tinha dificuldades para entrar na área e conseguir a finalização.

Para tentar surpreender, o São Paulo contou com boa investida de Bruno pela ponta direita: o camisa 2 chegou no fundo e fez o cruzamento fechado. O arqueiro Fábio teve que socar a bola para conter a descida são-paulina. E se a equipe não conseguia municiar Pratto no ataque, a solução foi tirar o centroavante da área.

Aos 42 minutos, o camisa 14 buscou a jogada e rolou para Bruno, que cruzou da direita para Cueva: o peruano chegou embalado e bateu firme para inaugurar o marcador no Morumbi: 1 a 0! Na comemoração, o meia fez questão de parabenizar o atacante argentino pelo lance.

Na volta para a segunda etapa, o técnico Rogério Ceni promoveu duas alterações e tentou dar mais mobilidade ao time: entraram Junior Tavares e João Schmidt nas vagas de Buffarini e Douglas, respectivamente. Jucilei, que já tinha atuado como zagueiro fora do país, foi deslocado para a defesa ao lado de Breno.

Porém, apesar das mudanças, o Tricolor não conseguiu impedir que os visitantes reagissem. Em busca do embate, o Ituano se mandou para o campo de ataque e deu trabalho ao goleiro Renan, que fez grandes intervenções, mas nada pôde fazer para conter o tento do rival aos 16 minutos, anotado por Wellington Simião: 1 a 1.

Em uma nova tentativa de render mais opções ofensivas, o treinador são-paulino promoveu a entrada de Wellington Nem na vaga de Cícero. Com o camisa 21, o São Paulo reagiu e criou boa oportunidade aos 28 minutos: o atacante recebeu na área, abriu o espaço e soltou a bomba. O goleiro Fábio teve que se desdobrar para espalmar. No minuto seguinte, Bruno cruzou para Pratto, que testou e carimbou a trave!

Com as duas equipes atrás da vitória, a partida ficou franca e contou com boas jogadas de ataque de ambos os lados, no entanto as redes não balançaram novamente e o confronto válido pela nona rodada do Campeonato Paulista terminou empatado por 1 a 1. Na próxima quarta-feira (22), com a missão de tentar reagir na competição, o Tricolor visitará o Botafogo-SP, em Ribeirão Preto.


MELHORES MOMENTOS:




FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 1 X 1 ITUANO
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 18 de março de 2017, sábado
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral
Assistentes: Alex Ang Ribeiro e Mauro André de Freitas
Público: 11.886 pagantes
Renda: R$ 313.474,00
Cartão Amarelo: Buffarini, Douglas, Cueva e Breno (São Paulo); Peri (Ituano)
Gols:
SÃO PAULO: Christian Cueva, aos 42 minutos do 1º tempo
ITUANO: Wellington Simião, aos 16 minutos do 2º tempo
SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Bruno, Breno, Douglas (João Schmidt) e Buffarini (Junior Tavares); Jucilei, Thiago Mendes e Cícero (Wellington Nem); Cueva, Luiz Araújo e Lucas Pratto
Técnico: Rogério Ceni
ITUANO: Fábio; Arnaldo, Naylhor, Lima e Peri; Walfrido, Igor, Marcelinho (Rodrigo Celeste) e Claudinho (Bassani); Simião (Dener) e Morato
Técnico: Roque Júnior

16 de março de 2017

São Paulo empata com ABC e avança na Copa do Brasil

|0 comentários
Cueva marcou o gol de empate e calou o Frasqueirão

A noite desta quarta-feira começou temerosa, mas teve um final feliz para o São Paulo. Jogando no pulsante Estádio Frasqueirão, na quente Natal, o Tricolor empatou por 1 a 1 com o ABC, da segunda divisão nacional, e garantiu uma das vagas para a quarta fase da Copa do Brasil, já que havia vencido o jogo de ida, há uma semana, no Morumbi, por 3 a 1.

Com o desfalque de Lucas Pratto, o São Paulo levou um susto logo no primeiro minuto de jogo, quando sofreu gol de cabeça de Márcio Passos. O time treinado por Rogério Ceni, contudo, se comportou bem após o gol e mereceu a igualdade conquistada no fim do primeiro tempo, com Cueva, de bico. Na etapa decisiva, o Tricolor administrou a vantagem com a troca de passes e ainda teve as melhores chances para desempatar o duelo.

O próximo adversário do São Paulo na Copa do Brasil será conhecido apenas após sorteio realizado pela CBF, nesta sexta-feira, quando serão definidas as datas dos confrontos. Agora, o time treinado por Rogério Ceni volta as suas atenções para o Campeonato Paulista, pelo qual entra em campo neste sábado, às 16 horas (de Brasília), para enfrentar o Ituano, no Morumbi.

Tricolor leva susto, mas vai tranquilo para o intervalo

Toda a tranquilidade que o São Paulo ostentava antes da partida se esvaiu logo no primeiro minuto, quando Márcio Passos subiu sozinho após cobrança de escanteio pela esquerda e cabeceou sem chances para Denis, abrindo o placar para o ABC, que tinha o apoio de 15 mil torcedores.

Para piorar, já aos 11 minutos, Rodrigo Caio sentiu o tornozelo e foi substituído por Lyanco. Tendo um início de noite complicado, o Tricolor aos poucos foi entrando no jogo e teve a chance de se restabelecer em seguida, com Wellington Nem e Cueva, mas a zaga tirou em cima da linha duas vezes no mesmo lance.

Já melhor na partida, o time do Morumbi por pouco não sofreu outro baque: aos 33, Erivélton cruzou da direita, Nando ganhou no alto e testou para grande defesa de Denis. A chance animou os potiguares, que partiram para cima. Mas, em um contra-ataque puxado por Thiago Mendes, os visitantes empataram com Cueva, que recebeu de Gilberto no meio da área, chutou de bico e contou com a ajuda do goleiro Edson para marcar.

São Paulo troca passes e administra vantagem

O São Paulo voltou melhor para a etapa final e por pouco não liquidou o duelo aos dois minutos, quando Lyanco, da marca do pênalti, finalizou rente à trave após bate-rebate na área. Com uma boa vantagem, os paulistas passaram a trocar passes, o que lhes dava maior posse de bola e impedia que o ABC sufocasse.

Melhor na partida, o Tricolor chegou com Gilberto, aos 21 minutos. O artilheiro da equipe no ano recebeu bom lançamento de Cueva, saiu livre e bateu de cavadinha, mas a bola não ganhou altura e ficou fácil para Edson fazer a defesa.

Nos minutos finais, Cícero passou a atuar como terceiro zagueiro para encorpar a zaga nas bolas aéreas defensivas, já que os potiguares abusavam desse tipo de jogada. Com espaços de sobra, o Tricolor teve a chance de virar o placar aos 31 minutos, quando Lucas Fernandes, que havia entrado no lugar de Cueva, saiu na cara de Edson, mas finalizou em cima do goleiro duas vezes. No apagar das luzes, o ABC ainda carimbou o travessão de Denis, que quase sofreu outro gol de cobertura.


MELHORES MOMENTOS:



FICHA TÉCNICA:

ABC-RN 1 X 1 SÃO PAULO

Local: Estádio Frasqueirão, em Natal (RN)
Data: 15 de março de 2017, quarta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Assistentes: Rodrigo Henrique Correa e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (ambos do RJ)
Público: 15.016 torcedores
Renda: R$ 375.170,00
Cartão Amarelo: Felipe Guedes, Márcio Passos, Echeverría, Cleiton e Dalberto (ABC); João Schmidt, Cueva, Lucas Fernandes e Junior Tavares (São Paulo)
Gols:

ABC: Márcio Passos, no primeiro minuto do 1º tempo
SÃO PAULO: Christian Cueva, aos 37 minutos do 1º tempo

SÃO PAULO: Denis; Buffarini, Lugano, Rodrigo Caio (Lyanco) e Junior Tavares; João Schmidt, Thiago Mendes e Cícero; Cueva (Lucas Fernandes), Wellington Nem (Luiz Araújo) e Gilberto
Técnico: Rogério Ceni

ABC: Edson; Levy, Oswaldo, Cleiton e Romano (Marquinhos); Márcio Passos, Felipe Guedes e Gegê (Caio Mancha); Erivélton, Nando e Echeverría (Dalberto)
Técnico: Geninho

11 de março de 2017

Sem Cueva São Paulo perde para o Palmeiras

|0 comentários
No
Allianz Parque, adversário levou a melhor no clássico válido pela oitava rodada do estadual

O Tricolor entrou em campo na tarde deste sábado (11), na Arena Allianz Parque, com a missão de aumentar a sua série invicta na temporada e conquistar o primeiro resultado positivo na casa do rival. No entanto, com gols de Dudu, Tchê Tchê e Guerra, o Palmeiras levou a melhor e venceu por 3 a 0 o clássico válido pela oitava rodada do Campeonato Paulista de 2017.

Apesar do revés no Choque-Rei deste final de semana, fora de casa, o São Paulo se manteve na liderança do Grupo B, com 14 pontos. Na próxima quarta-feira (15), às 19h30, no Estádio Frasqueirão, o Tricolor visitará o ABC-RN pelo duelo de volta da terceira fase da Copa do Brasil. Com a vitória por 3 a 1 no confronto de ida, no Morumbi, os paulistas ganharam o direito de perder por até um gol de diferença que ainda assim avançarão no torneio nacional.

Para encarar os palmeirenses, o técnico Rogério Ceni não contou com o peruano Cueva, que foi cortado com um edema na coxa esquerda. Já o zagueiro Breno, que estava em estado gripal nos últimos dias, ficou como opção no banco de reservas. Assim, sem o goleiro Sidão (lombalgia), o capitão Maicon (entorse no tornozelo esquerdo) e o meio-campista Wesley (artroscopia no joelho), o time são-paulino foi escalado com Denis; Buffarini, Douglas, Rodrigo Caio e Junior Tavares; Jucilei, João Schmidt e Cícero; Thiago Mendes, Lucas Pratto e Luiz Araújo.

O adversário atuou com Fernando Prass; Fabiano, Mina, Vitor Hugo e Egídio; Thiago Santos, Tchê Tchê e Michel Bastos; Guerra, Dudu e Willian. Quando a bola rolou, o Palmeiras começou pressionando e dificultou a saída de bola do Tricolor, que não teve vida fácil para trocar passes nos primeiros 45 minutos. O rival apertava no campo de ataque e, dessa forma, o time são-paulino não conseguia buscar as jogadas na frente.

A primeira oportunidade do São Paulo surgiu apenas aos 19 minutos: Thiago Mendes avançou pela direita e cruzou para Pratto. Fernando Prass tentou cortar, mas a bola sobrou para o camisa 14, que recuperou e finalizou. O arqueiro defendeu a finalização do argentino e impediu que as redes balançassem. Grande jogada do atacante são-paulino, que confundiu a marcação para se livrar dos zagueiros e chutar.

Pouco depois, aos 25, os visitantes levaram perigo novamente: desta vez, porém, em cobrança de bola parada. Thiago Mendes bateu falta na área do Palmeiras, a bola passou por todo mundo e assustou Fernando Prass – por pouco o meio-campista Cícero não conseguiu aproveitar. E quando o clássico era equilibrado, os donos da casa abriram o placar na reta final do primeiro tempo com Dudu, aos 45 minutos: 1 a 0.

Na volta para a segunda etapa, para dar mais opções ofensivas ao time, Rogério promoveu a entrada do atacante Wellington Nem na vaga do volante Jucilei. Assim, o camisa 21 ficou aberto pela direita, Luiz Araújo pela esquerda, Pratto centralizado e Thiago Mendes ao lado de Cícero e João Schmidt no meio de campo. A alteração do comandante, no entanto, não teve tempo surtir efeito. Aos 10 minutos, Tchê Tchê bateu de fora da área e ampliou para os mandantes: 2 a 0.

Aos 17, Lucas Fernandes herdou o lugar de João Schmidt e tentou fortalecer o setor de criação da equipe, que quando esboçava a reação sofreu o terceiro gol aos 25 minutos anotado por Alejandro Guerra: 3 a 0. Apesar do revés no Choque-Rei deste final de semana, fora de casa, o Tricolor se manteve na liderança do Grupo B, com 14 pontos.


MELHORES MOMENTOS:






FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 3 X 0 SÃO PAULO

Local: Estádio Palestra Itália, em São Paulo-SP
Data: 11 de março de 2017, sábado
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza
Assistentes: Bruno Salgado Rizo e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa
Público: 36.090 torcedores
Renda: R$ 2.309.892,74

Cartões amarelos: Thiago Santos, Tchê Tchê e Vitor Hugo (PAL); Cícero Rodrigo Caio e João Schmidt (SAO)

Gols:
PALMEIRAS: Dudu, aos 45 minutos do primeiro tempo; Tchê Tchê, aos 10, e Guerra, aos 25 na etapa final

PALMEIRAS: Fernando Prass; Fabiano (Jean), Yerry Mina, Vitor Hugo e Egídio; Thiago Santos e Tchê Tchê; Michel Bastos, Guerra e Dudu (Keno); Willian (Borja).

SÃO PAULO: Denis; Buffarini, Douglas, Rodrigo Caio e Junior Tavares; Jucilei (Wellington Nem), Cícero e João Schmidt (Lucas Fernandes); Thiago Mendes, Lucas Pratto e Luiz Araújo (Araruna)
Técnico: Rogério Ceni

9 de março de 2017

São Paulo vence o ABC e encaminha classificação na Copa do Brasil

|0 comentários
Com Araújo arrasador, Tricolor bate o ABC e larga na frente

O São Paulo encaminhou na noite desta quarta-feira a sua classificação para a quarta fase da Copa do Brasil. Jogando no Morumbi, o Tricolor derrotou o ABC de Natal por 3 a 1 e angariou uma ampla vantagem para o jogo de volta, em Natal, daqui a uma semana (15), quando poderá perder por um gol de diferença no Estádio Frasqueirão.

Diante de 15 mil são-paulinos, o time do Morumbi voltou a divertir sua torcida com futebol ofensivo. Infernizando a zaga potiguar, Luiz Araújo circulou por todos os lados e marcou duas vezes. Lucas Pratto fez o outro gol tricolor, o seu quarto pelo clube, todos feitos de cabeça. O volante Márcio Passos descontou para a agremiação do Rio Grande do Norte. Com dores na coxa esquerda, Cueva deixou a partida aos 20 minutos do segundo tempo, mas não deve preocupar para os próximos compromissos da equipe.

Com a situação bem adiantada na Copa do Brasil, o Tricolor volta as suas atenções para o Campeonato Paulista. Líder do Grupo B, com 14 pontos, o time treinado por Rogério Ceni visita o Palmeiras, neste sábado, às 16 horas, no Palestra Itália. Já o ABC enfrenta o Itabaiana, no Sergipe, pela quinta rodada da Copa Nordeste, às 20h30 do mesmo dia.

O jogo – O São Paulo começou pressionando e teve uma dobradinha de chances logo aos seis minutos, quando Pratto deixou Thiago Mendes na cara do gol. O volante bateu na saída do goleiro Edson, que espalmou. No rebote, Cueva chutou cruzado e o zagueiro salvou em cima da linha.

Três minutos depois, Luiz Araújo cobrou escanteio fechado pela direita, carimbando a trave. Na volta, ele recebeu de Cueva dentro da pequena área e finalizou em cima de Edson. Logo aos 18, o volante Jardel, que já estava pendurado por falta dura no peruano, foi substituído por Jhonata.

Aos 25, o poste esquerdo voltou a impedir o primeiro gol tricolor em novo chute de Luiz Araújo, que dois minutos depois não desperdiçaria nova chance. Após belo lançamento de Cícero, Cueva disputou com o zagueiro na área e a bola sobrou para o atacante de 20 anos, que bateu no ângulo, sem chances para Edson.

O arqueiro abacedista, aliás, foi o grande responsável por evitar um placar mais elástico antes do intervalo. Aos 46, o endiabrado Luiz Araújo roubou bola no meio-campo, arrancou em direção ao gol, passou por dois marcadores, mas concluiu em cima de Edson, que viu oito finalizações do São Paulo irem em sua direção no primeiro tempo.

A etapa final começou de forma elétrica. Aos cinco minutos, João Schmidt fez ótimo lançamento para Luiz Araújo, que dominou, driblou Edson e empurrou para o gol, ampliando o placar para o time do Morumbi. Aos sete, o ABC reagiu em mais uma falha da zaga são-paulina no ano. Após cobrança de escanteio, Márcio Passos venceu Breno no alto e testou no canto direito. Denis pulou, mas não alcançou.

No entanto, apenas três minutos depois, o Tricolor esfriou as pretensões abecedistas. Em boa fase e com contrato renovado, Thiago Mendes desceu pela direita e cruzou na medida para Pratto, que se antecipou ao zagueiros e cabeceou cruzado, no canto direito de Edson, que até tocou na bola, mas não conseguiu evitar o terceiro gol são-paulino.

Após ambas as equipes realizarem todas as substituições a que têm direito, o duelo esfriou, embora o Tricolor continuasse pressionando os potiguares. No entanto, sem tanta agressividade, os mandantes não conseguiram esticar a vantagem para o jogo de volta em Natal.


MELHORES MOMENTOS:




FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 3 X 1 ABC-RN

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 08 de março de 2017, quarta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Assistentes: Nadine Schramm Camara e Henrique Neu Ribeiro (ambos de SC)
Público: 15.101 espectadores
Renda: R$ 363.740,00
Cartão Amarelo: Jardel e Gegê (ABC)
Gols:

SÃO PAULO: Luiz Araújo, aos 27 minutos do 1º tempo, e aos 5 minutos do 2º tempo; Lucas Pratto, aos 10 minutos do 2º tempo
ABC: Márcio Passos, aos 7 minutos do 2º tempo

SÃO PAULO: Denis; Bruno, Breno, Rodrigo Caio e Junior Tavares; João Schmidt (Wellington), Thiago Mendes e Cícero; Cueva (Wellington Nem), Luiz Araújo (Neilton) e Lucas Pratto
Técnico: Rogério Ceni

ABC: Edson; Levy, Oswaldo, Cleiton e Romano; Jardel (Jhonata) (Dalberto), Erivelton, Márcio Passos e Gegê; Caio Mancha (Nando) e Felipe Guedes
Técnico: Geninho


5 de março de 2017

Tricolor confirma boa fase e goleia o Santo André

|0 comentários
Cícero, Cueva, Luiz Araújo e Gilberto marcaram os gols são-paulinos neste domingo (5), no Morumbi

O Tricolor começou bem a semana decisiva que terá pela frente e chegou ao seu oitavo jogo consecutivo de invencibilidade na temporada: agora, com seis vitórias e apenas dois empates nos últimos duelos. Neste domingo (5), no Morumbi, o São Paulo goleou o Santo André por 4 a 1 e confirmou a sua boa fase neste início de ano. Cícero, Cueva, Luiz Araújo e Gilberto anotaram os gols dos anfitriões, que terão mais dois importantes compromissos pela frente.

Na próxima quarta-feira (8), às 19h30 (de Brasília), o Tricolor receberá o ABC-RN pelo confronto de ida da terceira fase da Copa do Brasil de 2017. Depois, no próximo final de semana, o São Paulo terá o clássico contra o Palmeiras, fora de casa, pela oitava rodada do estadual: no sábado (11), às 16h (de Brasília). Com o triunfo sobre os andreenses, o time são-paulino se manteve com boa vantagem na liderança do Grupo B do Paulista, agora com 14 pontos em sete jogos.

Para o confronto deste final de semana, o meio-campista Wesley (artroscopia no joelho direito) e o zagueiro Maicon (entorse no tornozelo esquerdo) foram vetados pelo departamento médico. Já o zagueiro Rodrigo Caio e o meio-campista João Schmidt, que treinaram normalmente nos últimos dias, não foram relacionados por opção do treinador.

Assim, com alguns titulares preservados, o técnico Rogério Ceni escalou o time com Sidão; Buffarini, Lugano, Douglas e Junior Tavares; Jucilei, Araruna e Cícero; Cueva, Luiz Araújo e Gilberto. Já o adversário atuou com Zé Carlos; Cicinho, Reniê, Leonardo e Baraka; Fernando Neto, Claudinho, Dudu Vieira, Henan e Eduardo Ramos; Serginho.

Quando a bola rolou, com a intensidade que tem demonstrado em seus domínios neste início de temporada, o Tricolor logo partiu para cima dos visitantes e tirou o zero do placar aos quatro minutos: após cobrança curta de escanteio, Luiz Araújo pegou o rebote e fez o cruzamento à meia altura para a área. Lugano não alcançou, mas Cícero foi oportunista e mandou para o fundo das redes! 1 a 0! Quarto gol do camisa 8 em dois jogos.

O Santo André tinha dificuldade na troca de passes no campo de ataque e, desta forma, não chegava com perigo ao gol de Sidão. O jogo ficou morno após o Tricolor largar na frente, mas ainda assim os anfitriões conseguiram ampliar a vantagem antes do intervalo para garantir mais tranquilidade. Aos 26 minutos, o time são-paulino roubou a bola no campo de defesa. Júnior Tavares recebeu, disparou em velocidade pela esquerda e acionou Luiz Araújo, que cruzou rasteiro na medida para Cueva completar: 2 a 0!

Na volta para a segunda etapa, o jogo começou em um ritmo mais tranquilo. O Tricolor buscava os espaços pelas laterais do campo, enquanto o time do ABC se fechava e tentava sair no contragolpe. Aos dez minutos, Cueva se livrou da marcação de três pela direita e rolou para Gilberto, que bateu firme de fora da área: o goleiro Zé Carlos desviou, e a bola carimbou o travessão. O São Paulo tentava impor o seu ritmo, quando o Santo André descontou com Leonardo aos 15: 2 a 1.

Para dar fôlego novo ao time e fortalecer o sistema defensivo, além de ter mais velocidade nos contragolpes, Rogério promoveu duas alterações e apostou nas entradas de Thiago Mendes e Wellington Nem, que herdaram as vagas de Araruna e Cueva, respectivamente. Pouco depois das mudanças, os donos da casa assustaram aos 22 com a dupla: Thiago Mendes recebeu ótimo passe de Wellington Nem, e finalizou rasteiro pelo lado direito da área.

Em busca do empate, o rival se mandou para o ataque e tentou pressionar os mandantes, que souberam aproveitar o contra-ataque para anotar o terceiro gol e conquistar mais uma importante vitória no estadual. Aos 30 minutos, Wellington Nem recebeu bom passe de Thiago Mendes dentro da área, pela direita, girou em cima da marcação, se livrou da zaga e finalizou. O arqueiro rebateu, e Luiz Araújo apareceu para balançar as redes: 3 a 1.

E quando o placar parecia definido, Gilberto apareceu para deixar a sua marca e fechar a goleada sobre os andreenses neste final de semana. Aos 41 minutos, o camisa 17 aproveitou cruzamento de Thiago Mendes e testou com categoria para arrancar mais um grito de gol dos torcedores nas arquibancadas: 4 a 1! Festa dos são-paulinos e oitavo jogo consecutivo de invencibilidade na temporada: agora com seis triunfos e dois empates!



MELHORES MOMENTOS:

 

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 4 X 1 SANTO ANDRÉ

Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 5/3/2017 - 16h
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira
Auxiliares: Alex Alexandrino e Leandro Matos Feitosa
Público/renda: 20.694 presentes / R$ 558.115,00
Cartões amarelos: Lugano, Cueva, Gilberto (São Paulo); Dudu Vieira (Santo André)
Gols: Cícero, 4'/1ºT (1-0); Cueva, 26'/1ºT (2-0); Leonardo, 15'/2ºT (2-1); Luiz Araújo, 30'/2ºT (3-1); Gilberto, 43'/2ºT (4-1)

SÃO PAULO: Sidão, Buffarini, Lugano, Douglas e Júnior Tavares; Jucilei (Wellington - 22'/2ºT), Araruna (Thiago Mendes - 17'/2ºT) e Cícero; Cueva (Wellington Nem - 17'/2ºT), Luiz Araújo e Gilberto. Técnico: Rogério Ceni.

SANTO ANDRÉ: Zé Carlos, Cicinho (Jean - 9'/1ºT), Reniê, Leonardo e Fernando Neto; Baraka, Dudu Vieira, Eduardo Ramos (Paulinho - intervalo) e Serginho (Edmílson - 26'/2ºT); Henan e Claudinho. Técnico: Sérgio Soares.

1 de março de 2017

São Paulo elimina o PSTC com show de Cícero e novos sustos

|0 comentários
Cícero marcou três vezes e garantiu a vitória do São Paulo

Torcida volta a ficar apreensiva com a defesa e critica o lateral-direito Bruno, mas Tricolor sai de Londrina classificado à terceira fase da Copa do Brasil com três gols do volante

O São Paulo erra na defesa? Erra, claro. E é óbvio que é bom se preocupar em corrigir esses problemas. Mas talvez seja o momento da torcida do Tricolor esfriar a cabeça e curtir o bom futebol apresentado pela equipe em 2017. A goleada por 4 a 2 sobre o PSTC nesta quarta-feira é o exemplo. Houve tensão, mas houve muito mais festa com a vaga na terceira fase da Copa do Brasil, na qual o Tricolor irá encarar o ABC-RN, que eliminou o Osasco Audax (jogos serão em ida e volta e ordem dos mandos será sorteada pela CBF).

Foram mais dois gols sofridos, chegando a 15 em dez partidas no ano. Números ruins, mas causados quase sempre por erros individuais, o que indicam duas coisas: não é o esquema ofensivo que os proporciona e há possibilidade de melhora, conforme o trabalho de Rogério Ceni for desenvolvido ao longo da temporada.

Quando João Schmidt, Breno e Bruno vacilaram em não dar o bote em Lucão no primeiro gol paranaense em Londrina, o placar já estava 1 a 0 para o São Paulo. O oportunismo de Cícero garantiu o tento, após rebote do goleiro Juninho. O camisa 8 marcou pela primeira vez desde seu retorno e foi essencial para controlar os nervos do time e a vantagem até a classificação para a terceira fase ser consumada.

Eram passes precisos, viradas de jogo, controle de bola e ritmo. E muita eficiência no ataque. Assim, ainda no primeiro tempo, tabelou com Pratto e fez o segundo. Cueva, de pênalti, deu o 3 a 1, mas o intervalo chegou com nova falha. Breno errou o tempo de bola, deixou Bruno vendido e Carlos Henrique descontou.

Os problemas defensivos deixaram os jogadores tensos na hora de marcar, sempre receosos de serem os próximos culpados. Era preciso colocar a cabeça no lugar, a bola no chão, como Cícero fez. Recebeu de Bruno, observou o goleiro e mandou, de fora da área, rasteiro no canto esquerda. Belo gol - o 19º pelo Tricolor - de uma bela vitória. Nervosa, é verdade, mas de um futebol vistoso e competitivo.


MELHORES MOMENTOS:

 


FICHA TÉCNICA
PSTC 2 X 4 SÃO PAULO
Local: Estádio do Café, Londrina (PR)
Data-Hora: 1/3/2017 - 19h30
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Auxiliares: Luiz Claudio Regazone (RJ) e Luiz Antonio Muniz de Oliveira (RJ)
Público/renda: 14.604 pagantes/R$ 750.740,00
Cartões amarelos: Lucas Trindade, Santiago e Denilson (PSTC), Wellington Nem, Thiago Mendes e Luiz Araújo (SAO)
Cartões vermelhos: -
Gols: Cícero (13'/1ºT) (0-1), Lucão (14'/1ºT) (1-1), Cícero (35'/1ºT) (1-2), Cueva (42'/1ºT) (1-3), Carlos Henrique (44'/1ºT) (2-3); Cícero (26'/2ºT) (2-4)

PSTC: Juninho; Paulinho, Lucas Trindade, Marcão e Guilherme; Denilson (Dener, aos 16'/2ºT), Santiago, Erick e Gabriel Pimba (Rone Dias, aos 29'/2ºT); Lucão e Carlos Henrique. Técnico: Reginaldo Vital.

SÃO PAULO: Sidão; Bruno, Rodrigo Caio, Maicon (Breno, aos 7'/1ºT) e Júnior Tavares; João Schmidt (Araruna, aos 28'/2ºT), Cícero e Thiago Mendes; Luiz Araújo (Wellington Nem, aos 21'/2ºT), Cueva e Lucas Pratto. Técnico: Rogério Ceni.

26 de fevereiro de 2017

São Paulo abre 2 a 0 e cede empate novamente

|0 comentários
São Paulo abriu 2 a 0, mas não conseguiu segurar o ímpeto dos anfitriões na segunda etapa: 2 a 2

Com mais uma atuação goleadora do atacante Gilberto – gol e assistência -, o Tricolor largou na frente do Novorizontino e abriu 2 a 0 no placar na noite deste sábado (25), no Estádio Jorge Ismael de Biasi, mas não conseguiu segurar o ímpeto dos anfitriões e cedeu o empate por 2 a 2 nos instantes finais. Apesar do tropeço, o São Paulo se manteve na liderança isolada do Grupo B no Campeonato Paulista, agora com 11 pontos em seis rodadas.

Após o confronto no interior do estado, o Tricolor fará uma pausa no estadual e retomará o foco na Copa do Brasil. Depois de eliminar o Moto Club-MA (1 x 0) na primeira fase, o São Paulo enfrentará o PSTC-PR, em Londrina, na sequência do torneio nacional. Já pelo Paulistão, a equipe são-paulina entrará em campo novamente apenas no dia 5 de março, no Morumbi, diante do Santo André.

Para encarar o clube do interior, o técnico Rogério Ceni preservou os jogadores que têm atuado com regularidade para evitar o desgaste ocasionado pela maratona de jogos deste início de temporada. Assim, escalou o time com Denis; Bruno, Lugano, Breno e Buffarini; João Schmidt, Thiago Mendes e Araruna; Shaylon, Neilton e Gilberto. “Nós jogamos quatro jogos em nove dias. Então, estes eram os 11 melhores que poderíamos ter em campo”, explicou o comandante antes de a bola rolar.

Já o adversário atuou com Tom; Railan, Domingues, Guilherme Teixeira e João Lucas; Doriva, Roberto, Fernando Gabriel e Henrique; Cléo e Alê. Quando a partida começou, o campo pesado atrapalhou o toque de bola das duas equipes. A forte chuva que atingiu a cidade prejudicou o gramado, que ficou pesado e dificultou a vida dos jogadores.

Dessa forma, com poucas oportunidades claras no primeiro tempo, o Tricolor teve que contar com o oportunismo do atacante Gilberto, que vive grande fase e não desperdiçou a chance quando a bola chegou. Aos 29 minutos, Bruno tabelou com Shaylon, avançou até a linha de fundo e cruzou rasteiro na área: Gilberto dominou bateu firme para abrir o placar em Novo Horizonte! 1 a 0! Quarto gol do camisa 17 na competição regional e o quinto na temporada, em cinco jogos. Grande início de ano do centroavante.

Na volta para a segunda etapa, para dar mais segurança ao sistema defensivo, o treinador são-paulino promoveu a estreia do volante Jucilei, que entrou na vaga de Shaylon após o intervalo. Mesmo com uma postura mais cautelosa, o São Paulo criou boas oportunidades e conseguiu ampliar a vantagem aos seis minutos: após lançamento do campo de defesa, Gilberto escorou de cabeça para Thiago Mendes, que entrou sozinho na área e tocou na saída do goleiro: 2 a 0!

Aos 13 minutos, por pouco, os visitantes não anotaram o terceiro gol novamente com o meio-campista: Neilton arrancou e rolou para Thiago Mendes, que finalizou da entrada da área à direita do gol de Tom. A bola passou muito perto da trave. Mais tarde, aos 19, com o intuito de dar mais velocidade ao time, Rogério apostou na entrada de Luiz Araújo, que herdou o lugar de Neilton.

Apesar de ter fôlego novo, o Tricolor não conseguiu conter a reação do Novorizontino, que partiu para cima e descontou aos 22 minutos: Roberto, em cobrança de pênalti, anotou o gol que deu novo ânimo aos anfitriões. Daí em diante, motivado pelo tento, os donos da casa pressionaram o São Paulo e ficaram mais tempo no campo de ataque. O goleiro Denis fez grandes defesas e tentou conter o ímpeto do adversário. Porém, aos 43, o camisa 1 nada pôde fazer para impedir o gol de empate anotado por Railan, que deu números finais ao duelo: 2 a 2.


MELHORES MOMENTOS:



FICHA TÉCNICA
 
NOVORIZONTINO 2 X 2 SÃO PAULO

Local: Estádio Jorge Ismael de Biasi, em Novo Horizonte (SP)
Data: 25 de fevereiro de 2017, sábado
Horário: 19h30 horas (de Brasília)
Árbitro: Salim Fende Chavez
Assistentes: Alberto Poletto Masseira e Luiz Alberto Andrini Nogueira
Cartões amarelos: NOVORIZONTINO: Cléo Silva, Arthur. SÃO PAULO: Buffarini, Breno, Lugano
Público: 8.260 torcedores

GOLS:
NOVORIZONTINO: Roberto, aos 22, e Railan, aos 43 minutos do 2T.
SÃO PAULO: Gilberto, aos 29 minutos do 1T, e Thiago Mendes, aos 6 minutos do 2T

NOVORIZONTINO: Tom; Railan, Domingues, Guilherme Teixeira e João Lucas; Doriva, Cléo Silva, Fernando Gabriel (Arthur) e Roberto; Henrique (Everaldo) e Alexandro (Nilson).
Técnico: Júnior Rocha

SÃO PAULO: Denis; Bruno, Lugano, Breno e Buffarini; João Schmidt, Thiago Mendes, Araruna e Shaylon (Jucilei); Neilton (Luiz Araújo) e Gilberto (Chavez)
Técnico: Rogério Ceni

22 de fevereiro de 2017

São Paulo vence o São Bento, mas sofre mais que o necessário

|0 comentários
Com dois gols de Pratto, São Paulo sofre, mas vence o São Bento

O São Paulo já tem um novo candidato a ídolo. Lucas Pratto precisou de dois jogos para cair nas graças da torcida e mostrar o quão importante ele pode ser para a equipe nessa temporada. O centroavante argentino correu, deu assistência de calcanhar, mostrou a determinação que agrada qualquer um no futebol e ainda marcou dois gols desta terça-feira, no estádio do Morumbi. A noite de Pratto, porém, assim como no último sábado, correu um sério risco de acabar com um sabor amargo, já que o São Bento endureceu o confronto, saiu na frente e chegou a empatar o placar depois de levar a virada. Um pênalti duvidoso sofrido por Chavez e convertido por Cueva aos 41 minutos do segundo acabou confirmando a vitória são-paulina por 3 a 2.

Os três pontos levam o Tricolor Paulista ao quinto jogo seguido de invencibilidade e aos 10 pontos no Campeonato Paulista após cinco rodadas, que lhe dão a liderança do Grupo B. Por outro lado, o time de Sorocaba, segue na lanterna do Grupo C e da classificação geral do Estadual, com apenas um ponto conquistado.

Mas, como Marco Aurélio Cunha costuma dizer, partida no Morumbi à noite, com pouco público e São Paulo muito favorito é sinônimo de problema. E mais uma vez a história se repetiu. Sonolento e desorganizado em campo, o Tricolor demorou para se encontrar. O São Bento, para o espanto de todos, começou bem o jogo e dando alguns sustos da ainda frágil defesa são-paulina.

E o que ninguém esperava aconteceu. Escanteio pela direita, Rodrigo Caio falhou e Pitty, de 1,90m, cabeceou sem chances para Sidão e abriu o placar. O gol atordoou os comandados de Rogério Ceni, que nos minutos seguintes repetiram os erros na saída de bola e deixaram os torcedores angustiados nas arquibancadas.

Aos poucos, o jogo do São Paulo foi encaixando. Demorou, mas engrenou. Muito por conta de Lucas Pratto. Na primeira finalização certa do time, aos 27, o argentino aproveitou cruzamento de Luiz Araújo e, de peixinho, empatou o duelo. A bola ainda bateu no travessão antes de entrar para dar mais plasticidade ao lance.

Antes do intervalo, o camisa 14 saiu da área para abrir espaço a Cícero, que infiltrou e por pouco não marcou o segundo. Na sequência, de novo Pratto mostrou que é mais do que um centroavante goleador. De calcanhar, o ex-jogador do Galo confundiu toda a zaga adversário e deixou Cueva livre para virar o jogo, mas o peruano desperdiçou uma oportunidade incrível antes do intervalo.

Na volta dos vestiários, o camisa 10 retribuiu a gentileza logo aos 2 minutos, mas Pratto, cara a cara com o goleiro, também falhou e retardou a virada, que a essa altura já se mostrava inevitável. Com fome de bola, o novo xodó da torcida tricolor se redimiu em seguida. Junior cruzou da esquerda e Pratto usou sua força para ganhar dos zagueiros no alto e cabecear sem chance para Rodrigo Viana.

Diferentemente da etapa inicial, o segundo tempo correu conforme as expectativas para o confronto antes da bola rolar. O São Paulo amassou o São Bento no seu próprio campo de defesa e, apesar de não viver uma noite muito inspirada ou criativa, criou algumas boas oportunidades de ampliar sua vantagem e ‘matar’ o jogo. Isso só não aconteceu porque Cueva estava ‘zicado’. O peruano teve mais duas chances claras no jogo, de frente para o gol. Uma parou na boa defesa de Viana e a outra carimbou o travessão do goleiro.

E a ineficiência por pouco não custou caro. No único contra-ataque que o São Bento conseguiu armar, Régis recebeu na esquerda, aproveitou a bagunça no setor defensivo do São Paulo, passou por Bruno, driblou Maicon e fuzilou Sidão. Um golaço e um verdadeiro balde de água fria no Morumbi.

Sorte do time da casa e de Cueva, que aos 41 minutos o árbitro Vinicius Furlan interpretou uma disputa por espaço entre Chavez e Pitty dentro da área como pênalti. Após uma mini-conferência na marca da cal, Cueva ignorou os pedidos da torcida por Pratto, bateu e decretou a virada do São Paulo e sua redenção no jogo. Nos minutos finais, a torcida da casa ainda passou agonia com um bate-rebate dentro da área são-paulina.

Agora, as duas equipes voltam a campo no sábado pelo Paulistão. A equipe de Rogério Ceni visita o Novorizontino às 19h30, no estádio Jorge Ismael de Biasi, enquanto o São Bento receberá o Red Bull mais cedo, às 17h00, em Sorocaba, no estádio Walter Ribeiro.


MELHORES MOMENTOS:

 


FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 3 X 2 SÃO BENTO

Local: Estádio Cícero Pompéu de Toledo, no Morumbi, em São Paulo
Data: 21 de fevereiro de 2017, terça-feira
Horário: 20h30 horas (de Brasília)
Árbitro: Vinicius Furlan
Assistentes: Rogério Pablos Zanardo e Daniel Luis Marques
Cartões amarelos: SÃO PAULO: Cícero. SÃO BENTO: Gabriel Santos, Denner, Pitty
Renda: R$ 339, 959,00.
Público: 14.011 torcedores

GOLS:
SÃO PAULO: Lucas Pratto, aos 27 minutos do 1T e aos 4 minutos do 2T. E Cueva, aos 41 minutos do 2T
SÃO BENTO: Pitty, aos 8 minutos do 1T, Régis, aos 31 minutos do 2T.

SÃO PAULO: Sidão, Buffarini, Rodrigo Caio, Maicon e Junior (Bruno); João Schmidt, Thiago Mendes, Cícero e Cueva (Araruna), Luiz Araújo (Chavez) e Lucas Pratto
Técnico: Rogério Ceni

SÃO BENTO: Rodrigo Viana; Leandro Melo (Magrão), Pitty, Gabriel Santos e Denner; Fábio Bahia, Itaqui, Giovanni (Rodrigo Dantas) e Régis Souza; Renan Mota e Guilherme Queiroz (Bebeto).
Técnico: Paulo Roberto Santos

18 de fevereiro de 2017

São Paulo cede empate no Morumbi na estréia de Pratto

|0 comentários

A festa estava programada, o Morumbi estava cheio, mais de 43 mil pagantes vieram para noite de estréia de Lucas Pratto, que fez o primeiro jogo com a camisa tricolor.

O São Paulo começou a partida jogando bem, controlando as ações e não demorou para abrir o placar, Pratto estreante da noite contou com a sorte para marcar o primeiro gol no Morumbi, o primeiro dele com a camisa tricolor. Bruno cruzou da direta, a bola desviou no marcador e Pratto subiu mais alto para abrir o placar no Morumbi.

Depois do gol, o Soberano teve duas oportunidades para ampliar o marcador, as duas no pés do jovem Luiz Araujo, porém, ambas não terminaram em gol. O Mirassol tentava escapar nos contra-ataques e tentava levar algum perigo, mas o lance mais perigoso do Mirassol, foi em uma bola recuada de Maicon com a cabeça, que quase encobriu o Sidão.

No segundo tempo, o time do interior voltou melhor e controlou mais as ações, aos 4 minutos depois de bobeira na zaga tricolor, Tony cruzou e achou Xuxa que empurrou para o fundo do gol, mas estava impedido. O São Paulo tentava se reencontrar no jogo e conseguiu, aos 7 minutos, Maicon cruzou da direita e achou Rodrigo Caio que de cabeça  fez São Paulo 2 x 0. Daí em diante o jogo ficou morno, o tricolor dominou a partida e tocava a bola de um lado para o outro. Tudo parecia terminar em um final feliz, porém, aos 30 minutos, depois de um chutão do goleiro do Mirassol a bola sobrou para Maicon, que vacilou e perdeu a bola na entrada da área para Raphael Lucas diminuir 2 x 1.

Depois do gol, o jogo ficou dinâmico, o Mirassol começou a gostar da partida e o São Paulo tentava fazer mais gols, aos 45 o São Paulo faria o terceiro, depois de cruzamento da direita, Pratto fez um corta luz e o zagueiro do Mirassol fez gol contra, porém o auxiliar assinalou impedimento do atacante Tricolor.


Aos 46 veio o castigo, o Mirassol atacou pelo lado direito e depois de um bom cruzamento, Bruno não conseguiu afastar e Xuxa empatou o jogo. 

O tricolor volta a campo na próxima terça-feira, dia 21/02/2017 contra o São Bento no Morumbi.


Melhores Momentos:

 

16 de fevereiro de 2017

São Paulo vira em cima do Santos na Vila, acaba com jejum e embala

|0 comentários
Luiz Araujo entrou no segundo tempo e decidiu a partida

Famoso por ter na base a sua grande força, o Santos sentiu o próprio veneno nesta quarta-feira. Foram 14 anos sem derrota para o São Paulo na Vila Belmiro no Campeonato Paulista. Desde 2009 o alvinegro não caia diante de seu torcedor para o rival Tricolor. Dessa vez, porém, uma cria da casa são-paulina resolveu mudar o rumo dessa história. Luiz Araújo, de apenas 20 anos, uma das esperanças do São Paulo para o futuro, entrou no segundo tempo para ser o nome do clássico válido pela 4ª rodada do Estadual. Dos pés da revelação de Cotia saíram dois gols e a confirmação da virada por 3 a 1. Antes, Rodrigão abrira o placar em linda jogada de Vitor Bueno, Cueva, de pênalti, igualou ainda no primeiro tempo.

O fim da invencibilidade do Peixe na temporada culminou na manutenção da liderança do Mirassol no Grupo D, com nove pontos. O Santos estaciona nos seis, assim como a Ponte Preta, mas fica em segundo graças ao seu saldo de gols. O Osasco é o lanterna, com quatro pontos conquistados.

O São Paulo, por outro lado, abriu mais vantagem na ponta do Grupo B, agora com seis pontos. Linense vem logo atrás com três a menos. Red Bull Brasil e Ferroviária, com um ponto cada, dividem a lanterna.

E o San-São começou com novidades. Em seu primeiro clássico oficial, Rogério Ceni decidiu entrar com Buffarini ao invés de Bruno e trouxe Cueva para lhe fazer companhia na direita, talvez na tentativa de conter o forte lado esquerdo santista, que tem Zeca, Lucas Lima e Vitor Bueno caindo pelo setor. Na frente, Ceni apostou em Neilton, cria da base alvinegra, na vaga de Luiz Araújo.

O problema é que na prática as coisas não funcionaram como o novato treinador imaginava. Logo aos 10 minutos, Vitor Bueno deixou o lateral argentino do São Paulo no chão e colocou a bola na cabeça de Copete. 1 a 0 Peixe.

O gol mudou o panorama tático da partida. O Santos, propositalmente, deu campo ao rival e recuou sua marcação para apostar na saída rápida. Restou ao São Paulo tocar a bola e tentar encontrar um meio de furar o bloqueio santista. Nesse ponto, Neilton, sempre perseguido pelos torcedores na Baixada, decepcionou.

Mas, a dez do intervalo, Zeca deslocou Gilberto dentro da área no momento que o centroavante saltava para tentar um cabeceio. Pênalti infantil o campeão olímpico que Cueva não desperdiçou e deixou tudo igual antes de iniciar uma confusão generalizada. O motivo foi o gestão de mão no ouvido em direção às arquibancadas.

O empate comprovou um primeiro tempo equilibrado, com poucas chances de lado a lado e um duelo tático intenso e disciplinado. Rodrigão ainda teve uma grande chance depois de uma sobra de bola, mas errou o alvo frente a frente com Sidão.

Como era de se esperar, Neilton não voltou para a etapa final. Luiz Araújo retomou sua posição. Porém, foi o ataque do Santos que assustou primeiro. Sidão deu a bola no pé de Thiago Maia e só não se tornou vilão porque João Schmidt se antecipou a Rodrigão e evitou o gol. Restou ao pupilo de Rogério Ceni agradecer e pedir desculpas ao time.

O lance, no entanto, não era nenhum presságio do que estaria por vir. O time da Capital seguiu com mais posse de bola, empurrando o Santos para o seu campo. O Peixe se viu em apuros e os jogadores começaram a demostrar irritação. O retrato do jogo ficou explícito aos 10 minutos. Lucas Lima dormiu no ponto e perdeu a bola para Thiago Mendes. Gilberto ligou Luiz Araújo, que correu cerca de 20 metros, livre, antes de driblar Vladmir e calar a Vila Belmiro. Era a virada Tricolor.

As entradas de Bruno Henrique de um lado e Araruna do outro anunciaram o que seriam os minutos seguintes. Enquanto os mandantes tentavam, apesar da pouca inspiração, pressionar, os visitantes administravam e tocavam a bola de forma angustiante tanto para os torcedores quanto para os atletas santistas.

E a situação ficou ainda mais dramática aos 26. Isso porque Sidão mostrou que seu reflexo está apurado ao defender cabeçada de Rodrigão. No contra-ataque, Cueva fez o que quis com a exposta defesa do Santos e só rolou para o jovem Luiz Araújo matar o jogo com mais um gol. Victor Ferraz, a essa altura, já era meia. Opção que custou caro ao Peixe.

Mais do que os três pontos, a festa dos são-paulinos após o apito final se justifica. Fim de um longo jejum na Vila Belmiro, terceira vitória seguida da equipe depois de mais de um ano e, acima de tudo, a expectativa de um ano promissor. Por outro lado, fica o sinal de alerta para Dorival Júnior. Além da derrota, a forma como o Santos se portou em campo frente a um grande rival é o que mais chamou a atenção. E se o estádio não pôde receber torcedores do São Paulo por causa da determinação da Secretaria de Segurança do Estado, o som que marcou o fim do jogo foi o das vaias para os santistas, principalmente em cima de Lucas Lima, apagado e substituído no clássico.

Agora, ambos os times voltam a campo no sábado, às 19h30. O Alvinegro Praiano recebe a Ferroviária de novo na Vila Belmiro, enquanto o São Paulo enfrenta o Mirassol também diante de seu torcedor, no Morumbi.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 X 3 SÃO PAULO

Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data: 15 de fevereiro de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 horas (de Brasília)
Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araújo
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho e Bruno Salgado Rizo

Cartões amarelos: SANTOS: Zeca, Rodrigão. SÃO PAULO: Thiago Mendes, Neilton, Cueva, Cícero
Público: 11.320 torcedores
Renda: R$ 455.425,00

GOLS:
SANTOS: Copete, aos 10 minutos do 1T.
SÃO PAULO: Cueva, aos 36 minutos do 1T, e Luiz Araújo, aos 10 e aos 27 minutos do 2T.

SANTOS: Vladimir; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Yuri e Zeca; Thiago Maia, Leandro Donizete (Bruno Henrique), Vitor Bueno e Lucas Lima (Thiago Ribeiro); Copete e Rodrigão (Rodrigão).
Técnico: Dorival Júnior

SÃO PAULO: Sidão, Buffarini, Rodrigo Caio, Maicon e Junior; João Schmidt, Thiago Mendes (Araruna), Cícero e Cueva (Bruno), Neilton e Gilberto.
Técnico: Rogério Ceni


12 de fevereiro de 2017

São Paulo goleia a Ponte no Morumbi lotado

|0 comentários
Na estréia de Rogério no Morumbi como treinador São Paulo vai muito bem

Antes da bola rolar, uma cena curiosa chamou atenção. Rogério Ceni foi recebido com o tradicional cântico de “…É o melhor goleiro do Brasil” vindo das arquibancadas, que preferiram ignorar a aposentadoria do ídolo. Apesar de toda a euforia pré-jogo, o São Paulo não conseguiu impor a pressão sobre seu adversário da forma com seu torcedor imaginava ou gostaria. Apesar de um domínio maior da posse da bola, os comandados de Rogério Ceni tinham muita dificuldade em chegar próximo ao gol defendido por Aranha. Nada que diminuísse a empolgação nas arquibancadas. Até laterais eram comemorados.

O que talvez nenhum são-paulino previa é que a Ponte Preta fosse abrir o placar logo em seu primeiro ataque. Uma bobeada de Thiago Mendes no meio campo e uma falha de Sidão na hora de espalmar a bola culminaram a rede balançando.

O baque no estádio foi assustador. Antes vibrante, o Morumbi se calou. Sentiu o gol junto com o time. Pior que isso. Poucos minutos depois do gol, a Macaca assustou mais uma vez, em novo contra-ataque, mas dessa vez Sidão foi bem ao barrar uma bonita finalização de Lucca. Foi o suficiente para a impaciência dos torcedores com cada erro da equipe aparecer de repente.

Sorte do São Paulo que o gol só fez a Ponte Preta se retrair ainda mais e também de ter um meia que, quando está inspirado, pode carregar o time. O Tricolor não fazia uma boa apresentação, batia cabeça no meio de campo. Foi quando o peruano resolveu mudar a história da partida.

Primeiro, o camisa 10 deixou Gilberto de frente para Aranha, acreditou na jogada, e empatou aproveitando rebote do ex-goleiro de Santos e Palmeiras. Mais que a felicidade pelo gol, a sensação dos tricolores foi de alívio. Dez minutos depois, Cueva se mostrou entrosado com Gilberto e repetiu a assistência. Dessa vez o centroavante não perdoou e virou o duelo.

Era a tranquilidade que o São Paulo precisava para ser fatal na etapa final. O domínio da equipe nos últimos 45 minutos cresceu, mas dessa fez de forma efetiva. A Ponte, por outro lado, voltou apática. E pagou um preço alto por isso.

Thiago Mendes, que falhou no gol da Macaca, iniciou sua recuperação deixando Luiz Araújo na cara do gol. O jovem parou em Aranha. Mas, depois de bela jogada de Bruno pela direita, a bola sobrou para o volante, que foi às redes com um belo chute colocado, de canhota. E ainda haviam torcedores comemorando quando o São Paulo chegou de novo pela direita. Dessa vez Luiz Araújo foi bem, entortou Fábio Ferreira e serviu Gilberto, que fez seu segundo gol no jogo e deu seu recado a Rogério Ceni.

A goleada foi construída com meia hora de partida para ser disputada ainda. Então, deu tempo para o técnico são-paulino fazer a alegria da torcida colocando Lugano na vaga de Cícero, os jogadores puderam sentir o sabor de ouvir o famoso “olé” a cada toque na bola e, para fechar o domingo com chave de ouro, Gilberto marcou mais um gol, seu terceiro, o quinto do São Paulo, em um lance bizarro após cobrança de escanteio, que evidenciou o abatimento da Macaca em campo. Nem mesmo um gol de Lucca no fim da partida ofuscou o massacre tricolor neste domingo.

Embalado pela segunda vitória seguida, a primeira no Paulistão com direito a goleada e estádio cheio, e diante da expectativa das estreia de Jucilei e Lucas Pratto, o Tricolor agora se prepara para encarar o Santos, na Vila Belmiro, quarta-feira, às 21h45. Já a Ponte Preta terá de buscar uma reação jogando novamente fora de casa. No mesmo dia, mas às 19h30, a equipe campineira pega o Botafogo, em Ribeirão Preto, no estádio Santa Cruz.

MELHORES MOMENTOS:

 


FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 5 X 2 PONTE PRETA
Local: Estádio Cícero Pompéu de Toledo, no Morumbi, em São Paulo
Data: 12 de fevereiro de 2017, domingo
Horário: 17h00 horas (de Brasília)
Árbitro: Thiago Duarte Peixoto
Assistentes: Marcelo Van Gasse e Alex Ang Ribeiro
Cartões amarelos: SÃO PAULO: Cícero. PONTE PRETA: Kadu, Nino
Público: 50.952 torcedores
Renda: R$ 1.312.376,00

GOLS:
SÃO PAULO: Cueva, aos 32 minutos do 1T. Gilberto, aos 43 minutos do 1T e aos 12 e aos 24 minutos do 2T. E Thiago Mendes, aos 11 minutos do 2T.
PONTE PRETA: Matheus Jesus, aos 21 minutos do 1T, e Lucca, aos 38 minutos do 2T.

SÃO PAULO: Sidão, Bruno, Rodrigo Caio, Maicon e Junior; João Schmidt, Thiago Mendes (Araruna), Cícero (Lugano) e Cueva (Shaylon), Luiz Araújo e Gilberto.
Técnico: Rogério Ceni
PONTE PRETA: Aranha, Nino, Kadu, Fábio Ferreira e Jeferson (Artur); Naldo, Jádson e Matheus Jesus (Yago); Pottker, Clayson (Lins) e Lucca.
Técnico: Felipe Moreira

Jucilei é mais um reforço para a temporada 2017

|0 comentários
Volante foi oficialmente confirmado nesta manhã

Após a contratação do artilheiro Lucas Pratto, o Tricolor acertou neste final de semana mais um reforço para a temporada de 2017: o volante Jucilei. Atuando no exterior desde 2011, o jogador vem por empréstimo do Shandong Luneng-CHI com contrato válido até o final do ano. O meio-campista chega ao São Paulo para fortalecer ainda mais a equipe de Rogério Ceni nas disputas do Campeonato Paulista, da Copa do Brasil, da Sul-Americana e do Campeonato Brasileiro.

"A chegada do Jucilei representa mais um salto de qualidade no elenco e reafirma o compromisso dessa gestão de entregar um plantel forte à nossa comissão técnica enquanto reconstrói as bases do clube. Trata-se de um jogador que já demonstrou sua qualidade técnica e trará muitas possibilidades ao Rogério Ceni. Que ele tenha muito sucesso e nos ajude a escrever mais capítulos da nossa vitoriosa história", afirmou o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva.

Aos 28 anos, Jucilei obteve destaque no cenário nacional atuando pelo Corinthians, quando foi eleito o melhor volante do Campeonato Brasileiro de 2010 e acabou convocado para defender a Seleção Brasileira, então comandada pelo técnico Mano Menezes.

As boas atuações do jogador despertaram o interesse do Anzhi, da Rússia, que acertou a sua contratação em 2011. O atleta atuou no futebol russo durante duas temporadas e depois foi negociado com o Al-Jazira, dos Emirados Árabes.

Em 2015, após um pedido do técnico Cuca, o Shandong Luneng anunciou a chegada de Jucilei, que jogou no futebol chinês nas últimas duas temporadas.

O jogador, que está mantendo a forma no Brasil há quase um mês, fez exames médicos e seguirá a programação da comissão técnica antes de ficar à disposição do técnico Rogério Ceni. Vale lembrar que além do volante e do goleador argentino, o clube contratou Sidão, Cícero, Neilton e Wellington Nem para fortalecer a equipe em 2017.

JUCILEI

Nome completo: Jucilei da Silva
Data de nascimento: 06/04/1988 (28 anos)
Local de nascimento: São Gonçalo-RJ
Posição: volante
Altura: 1m86
Peso: 82kg

Clubes: GESB (2006-07), Canoas (2007), J. Malucelli (2008-09), Corinthians (2009-2011), Anzhi-RUS (2011-2013), Al-Jazira-EAU (2014-2015), Shandong Luneng-CHI (2015-2017) e São Paulo (desde 2017)

Títulos: Campeonato Paranaense Sub-20 (2008)

Seleção Brasileira: Superclássico das Américas (2010)

Premiações: Melhor volante do Campeonato Brasileiro (2010) e Melhor volante da Bola de Prata (2010)


11 de fevereiro de 2017

Lucas Pratto acerta com o São Paulo o matador finalmente chegou

|0 comentários

Titular da Seleção Argentina, Lucas Pratto assinou com o São Paulo um vínculo válido por quatro temporadas


Um dos mais respeitados e goleadores atacantes do futebol sul-americano, Lucas Pratto é o novo reforço do São Paulo. Titular da Seleção Argentina e cobiçado por diversos clubes, o centroavante que estava no Atlético-MG acertou nesta sexta-feira (10) com o Tricolor um vínculo válido por quatro anos – até o final de janeiro de 2021.
Eleito o melhor jogador do Campeonato Argentino de 2014 e presente na seleção do Campeonato Brasileiro de 2015, o artilheiro chega ao São Paulo para fortalecer ainda mais a equipe do técnico Rogério Ceni, que após o título da Florida Cup, em janeiro, tem durante a temporada as disputas do Campeonato Paulista, da Copa do Brasil, da Sul-Americana e do Campeonato Brasileiro.
“Estamos trazendo um dos melhores atacantes do continente, titular da Seleção Argentina e possivelmente uma figura de destaque na próxima Copa do Mundo. No passado, quando eu disse que faria o possível pra trazer reforços do nível do Pratto, meu desejo era exatamente ele, mas sabia que dentro de nossa responsabilidade precisaria de uma gestão que me desse essa condição. Conseguimos. É motivo de muita alegria e satisfação. Fizemos um investimento importante, mas planejado e só possível porque o São Paulo está conduzindo um programa de recuperação financeira. É a prova inconteste de que a Diretoria considera a saúde financeira um dos pilares para um futuro promissor, mas jamais deixará de lado o futebol”, diz o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva.
Revelado pelo Boca Juniors e com passagens pelo futebol europeu, o atacante de 28 anos se destacou pela primeira vez na América do Sul atuando na Universidad Católica, onde conquistou o Campeonato Chileno de 2010. Na sequência, no Veléz Sarsfield, foi uma das principais referências do clube argentino, que sagrou-se campeão nacional (2012/13) e da Supercopa (2013).
Pratto foi contratado pelo Atlético Mineiro em 2015 e em pouco tempo tornou-se um dos principais ídolos do clube. Em Minas Gerais, o atacante manteve a pontaria afiada e foi uma das referências da equipe: em 105 jogos, balançou as redes 42 vezes e deu 16 assistências. Atuando no Brasil foi convocado para defender a Seleção Argentina e no último jogo das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018 marcou um dos gols na goleada por 3 a 0 sobre a Colômbia.
O novo reforço são-paulino desembarcará na capital paulista nesta sexta-feira (10) e no domingo (12), no Morumbi, poderá ter o primeiro contato com os torcedores. Pratto acompanhará o duelo contra a Ponte Preta, às 17 horas, em jogo válido pela segunda rodada do Campeonato Paulista. A apresentação deve acontecer no início da próxima semana.
LUCAS PRATTO
Nome completo: Lucas David Pratto
Data de nascimento: 04/06/1988 (28 anos)
Local de nascimento: La Plata-ARG
Posição: Atacante
Altura: 1m88
Peso: 90 kg
Clubes
  • 2007 – Boca Juniors (Argentina)
  • 2007/2008 – Tigre (Argentina)
  • 2008/2009 – Lyn (Noruega)
  • 2009 - Boca Juniors (Argentina)
  • 2010 – Union Santa Fé (Argentina)
  • 2010/11 – Universidad Católica (Chile)
  • 2011/12 - Genoa (Itália)
  • 2012/2014 – Vélez Sarsfield (Argentina)
  • 2015/2017 – Atlético-MG
  • 2017 - São Paulo
 Títulos
  • 2010 - Campeonato Chileno
  • 2012/13 - Campeonato Argentino
  • 2013 - Supercopa Argentina
  • 2014 - Supercopa Argentina
  • 2015 – Campeonato Mineiro
  • 2016 – Florida Cup
 Prêmios Individuais
  • Melhor jogador estrangeiro do Campeonato Chileno (2010)
  • Jogador do Ano do Vélez Sarsfield em 2013 e 2014
  • Melhor jogador do futebol argentino em 2014
  • Artilheiro do Campeonato Argentino em 2014
  • Craque do Campeonato Mineiro 2015
  • Seleção do Campeonato Mineiro 2015
  • Gol mais bonito do Campeonato Mineiro 2015
  • Bola de Prata: Seleção do Campeonato Brasileiro de 2015
  • Prêmio Craque do Brasileirão: jogador estrangeiro do ano no Brasil de 2015
  • Atacante da seleção do 54º Troféu Guará 2016


Mais notícias: